12 nov 2020

Setor supermercadista do Rio de Janeiro atravessa a pandemia com segurança

A Associação do Estado do Rio trabalhou arduamente para manter o abastecimento da população e garantir a segurança para colaboradores e clientes

 

Por ser um setor essencial à população, o segmento supermercadista foi um dos primeiros a se adaptar aos novos protocolos exigidos pela pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e fez isso em tempo recorde. 

Desde o início da quarentena, nós da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) estivemos em constante contato com os órgãos reguladores de saúde e com o governo, acompanhando de perto todas as mudanças e atualizações a fim de orientar de forma rápida e clara os supermercadistas e a população.

Foi um período de adaptações diárias, mas o nosso setor se manteve firme e tem atravessado esse momento de forma brilhante.

 

Confira 10 iniciativas da ASSERJ na pandemia:

 

  • INFORMAÇÕES 24 HORAS

Desde o início da quarentena, nossa maior preocupação foi manter um canal ativo com a população, trazendo informações diárias sobre o panorama dos supermercados do Rio, com o objetivo de não haver pânico e correria. Realizamos esse trabalho desde os primeiros dias de isolamento, medida fundamental para manter as pessoas tranquilas.

Nosso presidente, Fábio Queiróz, esteve constantemente presente em veículos de comunicação de massa e nas redes sociais para reportar aos consumidores a situação dos supermercados do estado. Sempre com mensagens para tranquilizar a

 

população, além de orientar sobre as práticas de higiene e segurança. Ao longo do período, realizamos press meetings on-line com o porta-voz, fornecendo todas as informações essenciais sobre o setor.

 

  • ABASTECIMENTO PLENO

Durante todo o período de pandemia, as redes de supermercados estiveram 100% preparadas para atender à população de forma regular, sem que houvesse desabastecimento. Tomamos diversas medidas preventivas, como monitoramento 24 horas de toda a cadeia de produção –  produtores rurais, indústria, transportadoras, distribuidoras, entre outros; estreitamento de parcerias com os fornecedores; antecipação de pedidos de compras; contato constante com os órgãos competentes; e os supermercados trabalharam com estoques mais elevados do que a normalidade, pois se ocorresse   algum problema na cadeia produtiva, haveria tempo de comunicar às autoridades, todos os stakeholders e ainda os consumidores para resolver a situação.

Tudo isso para garantir uma melhor entrega à população, sem que houvesse corrida aos supermercados e estoque de mercadorias nas residências, como já dissemos. Hoje, com mais de seis meses, não houve qualquer problema ou indício de desabastecimento no estado do Rio de Janeiro.

 

  • PIONEIROS NAS MEDIDAS E PROTOCOLOS DE HIGIENE

Antes mesmo das obrigatoriedades, os associados supermercadistas da ASSERJ iniciaram uma série de medidas protetivas para os clientes e os funcionários nas lojas, como a barreira de proteção acrílica no caixa e a sinalização no piso com o distanciamento mínimo entre os clientes na fila.

Orientações de segurança e higiene foram amplamente divulgadas por nós,  como a ida de apenas uma pessoa da família às lojas, a orientação que os idosos não fossem às compras e que também se evitasse levar crianças aos supermercados, a disponibilização de álcool em gel na entrada dos locais, constante higienização dos carrinhos, suspensão dos serviços de degustação dentro das unidades, entre outras.

 

  • CARTILHAS PARA ORIENTAÇÃO

Para ajudar na disseminação das informações,  produzimos cartilhas de orientações aos supermercadistas.. Uma delas falava sobre os Reflexos do Coronavírus nas Relações Trabalhistas, outra abordava as Boas Práticas Para o Setor Supermercadista Utilizar na Prevenção da Disseminação do Coronavírus, uma terceira trazia as Boas Práticas na Manipulação de Peixes Salgados e Salgados Secos e ainda uma sobre Como o Supermercado Deve Lidar Com Os Possíveis Casos de COVID-19 dos Terceirizados. Todas atualizadas constantemente e à disposição dos associados no site www.asserj.com.br.

 

  • PRIMEIRA CAMPANHA DE MÁSCARAS

       Fomos pioneiros no lançamento de uma campanha de utilização das máscaras pelos consumidores nas lojas. Tínhamos como objetivo resguardar os consumidores, na hora das compras, além dos profissionais desse setor considerado essencial. Com o mote “Não saia de casa sem ela: use máscara por você e por nós!”, a campanha reforçava à população a obrigatoriedade e a importância do uso desse item.

 

  • HOMENAGEM AOS COLABORADORES DO SETOR SUPERMERCADISTA DO BRASIL

        A ASSERJ foi a primeira associação do Brasil a homenagear todos os colaboradores de supermercados  em uma live histórica e inédita no Cristo Redentor.

 

          Realizamos uma projeção de luzes no monumento para enaltecer os mais de 8 milhões de colaboradores do setor que estão até hoje, diariamente, atuando na linha de frente e garantindo o abastecimento pleno da população.

          O Festival Solidário de Música foi acompanhado por mais de 17 mil pessoas pelas redes sociais e teve mais de três horas de duração com a participação de Preta Gil, Toni Garrido, Padre Omar e outros artistas.

          A ação também carregou um outro propósito muito importante: arrecadar cestas básicas para a campanha social “Cristo Redentor, Eu Quero Doar”. O evento conquistou mais de 86 toneladas de alimentos.

 

  • RÁPIDA EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

Em tempo recorde, nos adaptamos a novos canais de atendimentos digitais. Definitivamente as compras por delivery e ecommerce vieram para ficar. O consumidor mudou de comportamento. Até mesmo supermercados de vizinhança, que não tinham nenhum sistema de entrega, passaram a fazer o serviço com a pandemia. Cada vez mais lojas vão integrar o físico com o digital e melhorar a experiência de compra do consumidor.

 

  • VAGAS DE TRABALHO

Desde o início do isolamento, foram mais de 3.800 vagas de emprego, entre fixas, temporárias e novas posições, criadas no setor supermercadista do Rio de Janeiro. Um dos poucos segmentos que contrataram durante a pandemia.

No dia 1º de maio, nós da Asserj, junto com outras 29 entidades ligadas ao segmento varejista, criamos a plataforma Vagas no Varejo com o objetivo de divulgar as oportunidades e auxiliar na recolocação de profissionais que tiveram seus empregos afetados devido à pandemia do novo coronavírus. O site oferece oportunidades de emprego em setores essenciais, como supermercados e farmácias.

O segmento também proporcionou novos cargos. Criou-se o Auxiliar de Qualidade. A rotina desse profissional inclui tarefas como verificar a correta higienização de carrinhos e cestas de compras, checar a utilização de EPIs por todos os colaboradores, além de orientar clientes a manter o distanciamento na fila dos checkouts, conforme a sinalização de chão.

Além dessa oportunidade, outras novas  surgiram, como o cargo de Separador para e-commerce, Entregador e funções mais técnicas, como especialistas em e-commerce e marketing digital.

 

  • PARCERIA COM PEQUENOS PRODUTORES

 

Por meio de uma grande parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (SEAPPA), criamos a possibilidade para pequenos produtores rurais disponibilizarem seus produtos nos supermercados. O objetivo foi colaborar com o escoamento da produção durante a pandemia do coronavírus.

 

  • DECRETOS E CONQUISTAS

Trabalhamos incansavelmente, junto às autoridades, procurando conquistar ações e iniciativas que facilitassem o supermercadista e que, consequentemente, mantivesse o abastecimento pleno da população. Entre as conquistadas, está a venda do álcool líquido 70º nos supermercados em todo território nacional, equilibrando o consumo do álcool em gel.

Por meio de um pedido nosso, e de iniciativa legislativa do deputado federal Hugo Leal (PSD/RJ), e Dr. Luizinho (PP/RJ), em março, a ANVISA publicou a RESOLUÇÃO permitindo a venda do álcool líquido 70° em supermercados. O produto foi uma alternativa eficaz para higienização nesse momento de pandemia.

Outra medida importante conquistada, foi venda do álcool em gel a preço de custo nos supermercados do Rio de Janeiro e a inclusão do Álcool Etílico Hidratado 70º “INPM” na Cesta Básica.

Deixe uma resposta