21 nov 2019

Como reduzir o uso de plásticos nas embalagens?

O esforço em encontrar alternativas sustentáveis para reduzir embalagens plásticas exige tempo e dinheiro. Mas às vezes a solução é mais fácil do que se pensa e está ao alcance dos varejistas. Isso é o que mostra algumas iniciativas encontradas por redes para reduzir o uso do plástico.

Mais de 104 milhões de toneladas de plástico irão poluir os ecossistemas do mundo até 2030 se nenhuma mudança acontecer em relação ao material. A informação foi divulgada recentemente pela WWF (World Wide Fund for Nature) no estudo “Solucionar a Poluição Plástica: Transparência e Responsabilização”.

Segundo a pesquisa, o Brasil é o 4º país do mundo que mais gera lixo plástico. Para correr atrás do prejuízo ou pelo menos não prejudicar ainda mais o meio ambiente, as redes La Fruteria, novo associado ASSERJ, e o supermercado Acolheita possuem alternativas inovadoras.

 LA FRUTERIA

A boutique de frutas, La Fruteria, inaugurada em 2015 em Ipanema, Rio de Janeiro, oferece a opção de vendas a granel desde a sua fundação, e a loja praticamente não utiliza mais plástico nas embalagens. Disponibilizam sacolas de papel, além de embalagens retornáveis de algodão, ráfia e vidro como alternativa.

“Desde o início sempre oferecemos a venda a granel por acreditar ser uma opção mais econômica e sustentável, já que reduz a utilização de embalagens em toda cadeia. Esse setor tem uma forte procura por clientes que prezam por produtos mais econômicos e sustentáveis, sem perder a qualidade.”, afirma Carol Scarpinelli, fundadora.

Além das opções de embalagens citadas, a rede possui também copos de mandioca e folhas de bananeira como alternativas sustentáveis. “Nossos copos descartáveis são naturais e biodegradáveis produzidos a partir da fibra mandioca. Já a folha de bananeira é utilizada para embalar folhagens.”, explica Carol.

A La Fruteria é um novo associado ASSERJ e atualmente possui três lojas, Ipanema, Barra da Tijuca e nos Estúdios Globo.

ACOLHEITA

Em Botafogo, no Rio de Janeiro, o mercado Acolheita traz um modelo de negócios inovador. Com todas as seções que um mercado convencional possui, o Acolheita valoriza ao máximo o pequeno produtor, expõe ao cliente o preço pelo qual o produto foi comprado e não possui sacolas plásticas, incentivando os clientes a levarem as suas próprias ecobags, potinhos ou tupperware.

O sócio do estabelecimento Bruno Grossman define o Acolheita como um mercado de bairro focado em comida de verdade, justa e local. “Buscamos sempre agricultura familiar e produtores artesanais. Nossa prioridade é contar a história do alimento: quem fez, como e onde, então praticamos essa total transparência na loja e o cliente fica sabendo de tudo.”, admite.

E não são só grãos que o mercado oferece, o mix de produtos vai desde hortifruti aos produtos de limpeza orgânicos, passando por vinhos naturais, carnes e frangos orgânicos. Mas para estar no mix do Acolheita há um pré-requisito: ser comida de verdade. “Não temos comida processada e pseudo-saudável. Não entra agrotóxico, antibiótico, conservantes, saborizantes ou embalagem. Compramos diretamente os produtos e somos radicalmente transparentes com os clientes. A equipe visita os produtores e conversa com clientes sobre mais diferentes assuntos.”, explica Grossman.

Quem chega no Acolheita costuma já levar suas sacolas retornáveis ou ecobags. Mas também há quem leve potinhos para os doces e manteiga, por exemplo.  Quem é novo, o mercado disponibiliza sacolas comunitárias.

5 ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS

1) FAVO

Criada para substituir os plásticos na cozinha, a bioembalagem FAVO é feita a partir de cera de abelha, algodão orgânico e óleo de coco orgânico. É uma espécie de tecido lavável e estampado com frutas, verduras e pequenos desenhos de abelhas. A proprietária, Rita Retz, é artista plástica e passou dois anos desenvolvendo o produto, que pode ser reutilizado várias vezes com duração de até um ano. Ao fim da vida útil, ele pode ser compostado ou descartado junto ao lixo orgânico, demorando de quatro a seis meses para se decompor. Há dois pontos de venda: em São Paulo, você pode encontrar na loja Uma Vida Sem Plástico, e no Rio de Janeiro, na boutique de frutas La Fruteria, Barra da Tijuca (Av. Lúcio Costa, 3150 Lj. 101) e Ipanema (R. Visconde de Pirajá, 559 Lj. E).

www.favobioembalagem.com.br

2) OKA

A marca OKA produz embalagens biodegradáveis feitas a partir de fécula de mandioca, água e fibras naturais em vários tamanhos e modelos. Os produtos podem ser descartados em qualquer bioma, uma vez que se degradam naturalmente e podem servir de compostagem para a terra, ração animal ou serem reciclados para o processo produtivo. Há opções de copos, bandejas, caixa de ovos, colheres e outros recipientes, que podem ser adquiridos pelo site, por e-mail ou pelas redes sociais.

www.okabioembalagens.com.br

3) Lush

A empresa britânica de cosméticos frescos e feitos à mão, Lush, vende os knot wraps, lenços produzidos a partir do algodão oriundo de garrafas plásticas recicladas. Com diversas estampas diferentes, os tecidos podem funcionar como acessórios ou como opção alternativa para embalagem, sendo que a própria marca ensina vários tipos de nós Furoshiki – forma de embrulho tradicional japonesa -, tanto para guardar produtos, quanto para formar bolsas e sacolas para o transporte. Infelizmente, a marca fechou todas as lojas no Brasil em junho de 2018, porém, você pode adquirir os knot wraps no site do Reino Unido ou em qualquer estabelecimento da Lush pelo mundo.

https:/br.lush.com/

4) Keep Eco

Também para a cozinha, a Keep Eco é uma marca que vende um tecido feito a partir de algodão, cera de abelha e outros materiais naturais. Ele serve para manter alimentos frescos, substituindo o plástico filme e o papel alumínio. O tecido é reutilizável e biodegradável, de forma que a pessoa pode compostá-lo após o uso. Há diversas opções de estampas, que podem ser encontradas na loja online da marca.

https://keepeco.com.br/

5) Bio Copo

Para os donos de bares e restaurantes ou para quem planeja festas e eventos, a marca Bio Copo oferece uma solução viável aos de plástico. Com os modelos de copos, potes e caixas, são vendidos produtos descartáveis que viram compostagem ao serem deixados no meio ambiente. As embalagens são feitas a partir de papel biodegradável e podem ser compradas em lotes pelo site, havendo possibilidade de customização.

Onde comprar:

Telefone: 11 4138-9300 ou sites:  www.fulpel.com.br  e www.biocopo.com.br

 

Deixe uma resposta