04 jun 2019

Copra Alimentos lança Leite do cocolight, sem glúten ou lactose

Com menor teor de gordura, chega ao mercado carioca o Leite de coco light, que possui 40% menos calorias. A novidade é da Copra Alimentos, indústria de Maceió, lançou o óleo de coco no mercado brasileiro. De acordo com a nutróloga Tamara Mazaracki, Membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), a gordura do leite de coco é principalmente composta de ácido láurico, que dentre outros benefícios à boa saúde, auxilia na manutenção da elasticidade dos vasos sanguíneos, ‘varrendo’ os depósitos de colesterol e outros detritos metabólicos, deixando os vasos limpos, o que contribui para reduzir o risco de arteriosclerose e doenças cardíacas.

– Uma dieta nutricional com uso do leite de coco contribuirá para o controle da pressão arterial, açúcar no sangue, e redução da inflamação das articulações. Ele também facilita a digestão, e pode ser um bom aliado para os sintomas de úlcera no estomago, e do refluxo -, ensina a médica. O óleo de coco, light, sobretudo, é livre de glúten e lactose e o seu teor calórico é baixo. A gordura saturada do leite de coco possui ácidos graxos de cadeia curta e média, que não são armazenados pelo corpo, e fornecem energia imediata, segundo estudo compilados por Tamara.

Confira dicas da médica Tamara Mazaracki para o uso do leite de coco

  • Use leite de coco e relaxe: ele é fonte de magnésio, um mineral que ajuda a acalmar os nervos e a manter a pressão arterial em níveis equilibrados. O magnésio impede que as células nervosas fiquem hiperativas e reduz a contração dos músculos. E o mais interessante: o ácido láurico tem ação direta na capacidade cognitiva e na proteção contra doenças que degeneram o sistema nervoso.
  • O leite de coco regula os níveis de açúcar no sangue porque é uma excelente fonte de manganês, que tem em uma de suas funções mais importantes, que é a de ajudar a metabolizar a glicose no corpo humano. Em 2009, um estudo feito no Garvan Institute of Medical Research, na Austrália, demonstrou que uma dieta rica em ácidos graxos do coco protege contra a resistência à insulina.
  • Ele também evita o acúmulo de gordura no corpo, comparada com outras dietas com alto teor de gorduras de cadeia longa (óleos poli-insaturados como óleo de soja, canola, algodão, milho), e de conteúdo calórico semelhante. A obesidade e a resistência insulínica são os principais fatores que levam ao desenvolvimento do diabetes tipo 2.

Deixe uma resposta