09 maio 2019

Como inovar no RH do varejo contemporâneo?

A SRE Conference, pela primeira vez na 31ª Super Rio Expofood, englobou diversos assuntos do varejo: desde a área de comunicação e marketing até a de recursos humanos. Com as principais tendências do setor, os participantes do evento aprenderam a inovar, seja na hora de vender um produto, seja na hora de uma contratação.

Brena Limonel, gestora de projetos estratégicos da consultoria Glaciano e professora da Escola ASSERJ, conduziu uma palestra sobre inovações no setor de recursos humanos. Para a gestora, apesar de inovar ser a palavra do momento, muitas vezes os profissionais não a interpretam da forma correta. “No mundo tecnológico que vivemos, inovar pode ser apenas simplificar processos, voltar às origens. A inovação sempre começa com um problema a ser resolvido acompanhado da frase ‘Como posso?’. E, acredite, nós podemos muita coisa quando queremos”, comenta Brena.

Mas, como começar o processo de inovação? Para Brena, é simples! Reúna um grupo, escolha um problema a ser resolvido e faça um brainstorm de soluções. A principal dica é: nunca descartar uma ideia; por mais impossível que ela pareça ser, é possível desenvolvê-la para torná-la tangível. “O segredo é pensar com liberdade. No primeiro momento, crie a solução e não se preocupe se existe recursos para isso, se o chefe vai aprovar, se há pessoas para executar. Os recursos você consegue com argumentos”, explica gestora.


Além disso, pode ser que alguns não compreendam o objetivo em comum entre a área de recursos humanos e boas práticas de inovação. A resposta? Pessoas. São elas as maiores responsáveis pelo bom funcionamento de uma empresa. Sendo assim, não há como uma organização crescer, inovar e buscar diferentes alternativas para o dia a dia, sem que seus colaboradores evoluam junto.

Dessa forma, uma vez que resultados dependem de pessoas, para alcançar números diferentes, não adianta realizar as mesmas ações. Por isso, mesmo na área de rh, inovar continua sendo um das saídas para o sucesso de uma marca. Assim, a equipe do setor deve estar presente nas tomadas de decisões estratégicas, colaborar na modernização de processos, desenvolver as competências dos colaboradores, atrair e reter talentos, ser responsável por manter a produtividade e por estabelecer uma liderança mais conectada, flexível e disruptiva.

“Inovar é preciso já que não posso utilizar mais métodos ou idéias de 10, 20, 30 anos atrás porque foram criadas para um mundo que não existe mais. É hora de olhar para velhos desafios com uma nova perspectiva, lembrando que por trás de qualquer problema tem um ser humano esperando por uma solução”, conclui Brena.

Matéria publicada na revista SUPER NEGÓCIOS (edição maio)

 

 

Deixe uma resposta