25 jul 2022

Encontro promovido pelo movimento Rio Produtivo com o governador Claudio Castro faz balanço do projeto e debate temas para o desenvolvimento do RJ

Na quinta-feira, 21 de julho, o movimento Rio Produtivo reuniu empresários de diversos setores econômicos em um jantar, no Hotel Sheraton, em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro, para fazer um balanço da vigência do movimento, reivindicar projetos que ajudem a seguir com a retomada da economia fluminense e apresentar as propostas ao Governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro.

Entre os temas debatidos no encontro, foi ressaltada a importância da aprovação do regime de recuperação fiscal – conquista através do movimento – para os supermercadistas e seu impacto positivo no setor.

“Eu me orgulho demais de fazer parte do Rio Produtivo. Esse movimento em prol do Rio de Janeiro conseguiu alinhar todos os esforços para a pauta principal dos últimos anos: a aprovação do regime de recuperação fiscal. Finalmente, com a ajuda do Governador do Estado, Cláudio Castro, conseguimos dar esse passo importante e ajudar o nosso setor” contou o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz.

O Governador Cláudio Castro subiu ao palco para receber uma homenagem e apresentar alguns feitos junto aos setores envolvidos no projeto Rio Produtivo. Ele também apresentou propostas que foram concretizadas e algumas projeções para ajudar ainda mais o desenvolvimento da cadeia produtiva fluminense e seus impactos.

“Quando assumi, o Estado tinha cerca de 6,2 bilhões de reais em dividas e, em meses, o resultado poderia ser catastrófico. Logo fui conversar com todas as esferas, inclusive a do varejo, indústria, hoteleira e de bares e restaurantes. Prontamente os setores envolvidos no Rio Produtivo apresentaram possíveis soluções e criamos estratégias. Com isso, o estado conseguiu ir se recuperando no decorrer dos dias, mesmo com a crise provocada pela covid-19” contou Claudio Castro ressaltando a importância do Rio Produtivo para a economia do estado.

Com mais de 500 mil pessoas empregadas, gerando um impacto financeiro direto em quase 2 milhões de pessoas, a indústria fluminense também tem mostrado um crescimento relevante, mesmo após o período de pandemia. Segundo o presidente da Rio Industria, Sérgio Duarte, o Estado do Rio de Janeiro é um centro econômico muito importante e a perspectiva é de crescimento nos próximos meses. “Somos o segundo maior mercado consumidor e acredito que, com o diálogo entre as esferas fomentado por esse projeto, vamos crescer ainda mais”.

O presidente da Rica Alimentos também comentou a respeito do momento que a empresa vive e a visão a frente para o caminho que o setor tem se preparado.

“Já tivemos uma fase muita delicada durante a pandemia com a economia quase que paralisada. Daqui pra frente o ambiente deve ser melhor para fazermos negócios e aumentarmos a comercialização no estado” contou Alexandre Igayara.

Recentemente, após a divulgação da sociedade entre Mart Minas (MG) e Dom Atacadista (RJ), em março deste ano, as empresas anunciam o nome de Caio Lira, ex-VP de Off Trade da Ambev. O executivo, que vai atuar como diretor geral no Dom Atacadista, também participou do jantar para conhecer os empresários fluminense e saber um pouco mais do setor no estado, também se mostrou otimista com o setor no Rio de Janeiro.

“A perspectiva a frente para o setor é extremamente positiva mesmo que estejamos vivendo um momento econômico inflacionário forte no Brasil. Embora estejamos com a estabilidade em relação a emprego no setor, o cenário atual preocupa, mas estamos buscando, no Dom Atacadista, crescer o movimento atacarejo no Rio de Janeiro. A expectativa é de que, com a sua chegada, haja uma transformação nos negócios da empresa, aprimorando práticas e processos, e, com isso, o Dom Atacadista atinja uma curva de crescimento, sobretudo no estado fluminense, impactando positivamente a região”  

Também estiveram no evento, líderes políticos e empresários como Washington Reis, o deputado Rosenverg Reis e o secretário de Estado da Casa Civil Nicola Miccione.

Sobre o Rio Produtivo:

Empresários de diferentes setores da economia fluminense decidiram sentar e discutir propostas que ajudem a melhorar os números do Rio de Janeiro. Pelo menos 11 entidades empresariais se uniram e criaram o RIO PRODUTIVO, um movimento apartidário que tem como objetivo discutir propostas comuns a todos os setores econômicos do estado: indústria, supermercados, hotéis, comércio, salões de beleza, bares e restaurantes, entre outros, num momento em que o Rio se vê diante de uma severa crise econômica.

Entre as pautas estão o plano de adesão ao novo Regime de Recuperação Fiscal e o auxílio financeiro a empresas que perderam os recursos na pandemia. Participam do movimento entidades como a ASSERJ – Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro, Rio Indústria – Associação de Indústrias do Rio de Janeiro, Fecomércio, ABIH RJ, FBHA, SindRio, ADERJ, ABEOC, Abrasce, Rio+Pão e Associação Comercial do RJ.

Deixe uma resposta