14 out 2019

Fábio Queiróz, presidente da ASSERJ, dá palestra na Unigranrio/Lapa sobre inovação

Fábio Queiróz, presidente da ASSERJ, foi a grande estrela da Unigranrio/Lapa no dia 07/10, ao fazer uma palestra para cerca de 150 estudantes, professores, empresários e público em geral. Ele abordou temas atuais como transformação digital, lojas físicas e virtuais, atendimento ao cliente, m-commerce, aplicativos promocionais, empregabilidade e chegada de novos grupos estrangeiros ao Brasil. A Amazon, que comprou a Whole Foods, uma das maiores redes de alimentos saudáveis, por US$13,7 bilhões, e Alibaba, gigante do varejo on-line chinês, estão com apetite voraz para competir na área off-line.

Fábio Queiróz atua no setor supermercadista há mais de 18 anos. Ele é advogado e, se valendo de uma oratória digna de convencer juízes, promotores e desembargadores, usou a ‘tribuna universitária’ para dar um show de competência, carisma e diálogo com os universitários de Direito, Administração, Logística, Marketing e Gestão Comercial.

Fábio até brincou ao perguntar “quem não gostava de ir ao supermercado fazer compras?” Ao levantar a mão, uma estudante foi escolhida por Fábio para ser introduzida no jogo dinâmico de interagir com a plateia, no clima mais que descontraído. A cada pergunta dele para a plateia, a estudante era lembrada por ele para que desse sua opinião.

Fábio vê inovação em 3D e sem óculos . “Lojas físicas tendem a diminuir de tamanho. Hoje, sem parcerias, ninguém vai à frente”. Veja mais no vídeo a seguir:

“Os supermercados que vocês conhecem hoje, daqui a cinco anos estarão totalmente diferentes. Imaginem que em 2018, quando estive em Nova York, conheci um robô de nome Bossa Nova, a maior novidade de uma feira de tecnologia, que faz as seguintes coisas: escaneia produtos numa gôndola e avalia produtos fora da validade, indica produtos que faltam na prateleira e faz gerenciamento de produtos por categoria. Hoje, há lojas de supermercado com cerca de 65 mil itens expostos, o que demanda alta tecnologia sobre logística. Com entrada de tecnologia, o e-commerce vai explodir. A velocidade é que vai ser importante, exigindo que as lojas físicas se integrem ao mundo digital. Vejam o exemplo da Amazon, que diversificou estas formas de venda. Pouca gente está enxergando isso hoje. Vejam, a Amazon comprou a Whole Foods, uma das maiores redes de alimentos saudáveis, por US$13,7 bilhões.”, disse Fábio Queiróz.

“A Amazon já está no Brasil e já é concorrente da maioria dos supermercados brasileiros, em vários produtos. Ela vende on-line pelo mesmo preço que as principais redes de supermercado comercializam. Ela vale 1 trilhão de dólares e sua prioridade é na área de perecíveis”, diz Fábio para uma plateia perplexa. A gigante do varejo on-line chinês, Alibaba, hoje avaliada em mais de US$ 500 bilhões, embora atrás da americana Amazon em valor de mercado atual, também está de olho no Brasil”, completa o presidente da ASSERJ. Para se ter ideia do que representa inovação, a empresa chinesa Hema Xiansheng, lançada em 2015, planeja abrir mais de 2 mil unidades somente nos próximos cinco anos. Essa rede de supermercados oferece entregas totalmente gratuitas em 30 minutos, além de pagamento por reconhecimento facial. Eles estão de olhos muito abertos, mesmo.

“O on-line já domina e dita regras nas lojas físicas, no exterior, por exemplo. Há lojas onde os 400 principais produtos vendidos pela internet passam a figurar nas lojas físicas, de modo a facilitar a vida dos clientes que moram próximos as unidades de venda. Nelas, cada cliente usa o aplicativo para entrar na loja, para contabilizar sua compra sem passar pelo checkout, onde não há qualquer funcionário. Sensores no teto do supermercado facilitam também quando você pega um produto na prateleira. Se o cliente devolver o produto à prateleira, o aplicativo já deduz aquele produto do seu aplicativo”, explica Fábio.

Deixe uma resposta