Há poucos meses a rede de supermercados norte-americana Walmart mostrou sua visão para o futuro do varejo. Isso foi feito por meio do lançamento de sua primeira loja inteligente.  O “laboratório”, que conta com mais de 30 mil itens, fica em Levittown, no Estado de Nova York. Para Mike Hanrahan, CEO do Intelligent Retail Lab (IRL), a tecnologia mudará a forma como o Walmart faz negócios. “Quando você combina dados com os mais de 50 anos de expertise da nossa empresa, é possível criar experiências realmente poderosas para os nossos clientes”, afirmou ao site Techcrunch.

Recentemente, em parceria com grupo Carrefour, a Zaitt inaugurou o primeiro mercado 100% autônomo da América Latina em São Paulo.  “A transformação digital é um dos nossos pilares e nosso objetivo é tornar a companhia referência em omnicanalidade. A parceria com a Zaitt tem total sincronia com o que queremos porque o cliente está no centro da experiência de compra. Por meio do aplicativo desenvolvido por eles, dotado de um sistema de pagamento que dispensa a necessidade de caixas e filas, é o cliente que guia a sua própria jornada dentro do mercado, adicionando os produtos ao carrinho virtual e realizando a compra – tudo pelo app”, explica Paula Cardoso, CEO do Carrefour E-Business.

O Grupo Pão de Açúcar não ficou de fora e anunciou em meados de junho uma parceria estratégica com a Microsoft para dar continuidade e acelerar o processo de transformação digital. Por meio de uma plataforma de dados centralizada, a parceria visa trabalhar o conceito de clientes e lojas conectados, com o desenvolvimento e aplicação de iniciativas digitais que têm o intuito de dar um passo a mais na relação entre os consumidores e os ambientes onde realizam suas compras.

“A loja phygital é uma resposta à crescente demanda dos consumidores por uma experiência de compra mais ágil e intuitiva, resultado da transformação digital em curso na sociedade e do avanço do e-commerce. A loja usa tecnologia para oferecer uma experiência inovadora aos clientes, amparada nos “is” – imediatismo e interatividade. Com o rompimento das barreiras entre o mundo online e off-line, os clientes esperam que suas experiências em loja sejam tão personalizadas e dinâmicas quanto no ambiente digital e essa é a nossa proposta”, explica Antonio Salvador, diretor de Transformação Digital e E-commerce do GPA.

CONHEÇA OS TRÊS MODELOS DE LOJAS

Modelo Walmart – Intelligent Retail Lab (IRL)

www.intelligentretaillab.com

50 mil metros quadrados

Diversos tipos de tecnologia = inteligência artificial e câmeras de rastreio.

Diferenciais para o consumidor e funcionário = notifica produtos em falta nas prateleiras, avisa aos clientes sobre caixas disponíveis, monitora a quantidade de carrinhos na loja e até avalia se alimentos in natura estão estragados – tudo isso com a tecnologia das câmeras com inteligência artificial.

FIQUE LIGADO!

  • Essa tecnologia deverá produzir cerca de 1,6 terabyte de dados por segundo.
  • A loja teve que instalar em seu espaço seu próprio data center.
  • O Walmart preparou um espaço de orientação dentro do IRL. São totens informativos, criados para ajudar clientes a entender as funcionalidades da nova loja de forma didática.

Modelo Zaitt e Carrefour
Endereço: Rua João Cachoeira, 382, Itaim Bibi – São Paulo (SP)

Paula Cardoso, CEO do Carrefour E-Business, destaca que a parceria com a Zaitt é um grande aprendizado e aponta novas tendências de consumo, facilitando os clientes em seus diferentes momentos de compra.

A loja é focada em:

  • Food Service
  • Snacks
  • Bebidas
  • Produtos de limpeza
  • Higiene pessoal
  • Orgânicos
  • Produtos frescos e prontos para consumo.

FIQUE LIGADO!

  • Câmeras com sensores monitoram cada ação e reconhecem quem está no mercado em tempo real.
  • O cliente está no centro da conversa, começando pela abertura e fechamento da compra sendo feitas por ele mesmo de duas formas após baixar o aplicativo do mercado e fazer o cadastro: pela leitura via aplicativo do reconhecimento facial ou do QR Code no totem, ambos disponíveis ao lado da entrada.

RFID (Radio Frequency Identification)

Trata-se de um sistema de identificação de produtos automático por meio de sinais de rádio. Com ele não é necessário o escaneamento produto por produto – eliminando qualquer atrito no processo de compra – sendo todos eles identificados na última etapa antes da saída do mercado. Com os produtos em mãos, para sair do mercado o cliente escolhe, assim como na entrada, entre o reconhecimento facial e a leitura do QR Code para se abrir a primeira porta. Quando essa porta se fecha, o cliente fica entre duas portas de vidro, momento no qual a radiofrequência entra em ação e identifica todos os itens presentes. Com a leitura finalizada, ele só confirma a compra total em uma tela que fica à sua frente e pronto, a segunda porta é liberada e o valor total é debitado automaticamente do cartão de crédito cadastrado.

Resultado de imagem para carrefour

+ INOVAÇÕES DO GRUPO CARREFOUR

Competência de Dados

Apoia na organização dos algoritmos e automatização da escala que uma operação como o Grupo Carrefour demanda, permitindo assim uma tomada de decisão mais rápida. “Um exemplo é a parceria com a Propz, que nos dá uma capacidade de realizar mais de 1.000 testes por mês e escalar aqueles que tiverem sucesso. Estes testes são focados em personalização e reconhecimento do perfil do cliente”, conta Paula Cardoso, CEO do Carrefour E-Business.

Conteúdos e Serviços
Adquirido em 2018, o CyberCook fornece conteúdos com receita com aproveitamento de alimentos, análise nutricional e busca refinada. “Com essa inteligência, por exemplo, teremos a Receita da Semana, que integra todo o ecossistema Carrefour, em que atuamos desde o estudo do perfil dos clientes que receberão esta comunicação, negociamos com os fornecedores a melhor oferta, abastemos e preparamos as lojas para comercializar os itens da receita.”

Competência de Last Mile

A entrega é parte crucial da jornada do cliente. O E-commerce Alimentar está diversificando cada vez mais as opções de entrega. Atualmente, 60% delas são na casa dos clientes, 34% é por meio de entrega rápida e 6% é via drive nas lojas, com o Retire de Carro. “Além da parceria do Rappi nos ajudar a abrir esse mercado, desenvolvemos nossas capacidades de criar soluções de last mile. Quanto mais avançamos nessa prioridade, mais adaptamos nossas operações e sortimento para atender ao perfil dos clientes de cada região. É uma troca de informações muito rica e necessária para evolução do nosso ecossistema”, diz Paula Cardoso.

Pagamentos Digitais

O Scan&GO, com piloto em duas lojas e alto nível de aceitação, permite ao cliente, por meio de um app, escanear o código de barras dos produtos e realizar o pagamento no próprio app, sem passar pelo checkout. A Carteira Digital Cartão Carrefour, com aceitação dentro e fora das lojas Carrefour, já está em soft launch para um grupo controlado. “Por meio do Banco Carrefour, vamos atuar em uma plataforma abrangente de pagamentos, com potencial para todas as unidades de negócios da companhia”, finaliza a CEO do Carrefour E-Business.

+ Modelo GPA E Microsoft

A rede acredita que o futuro do varejo está baseado na integração entre todos os canais para que o consumidor tenha reforçado o seu poder de escolha.  A loja, que deverá ser aberta ao público ainda este ano sob a marca Minuto Pão de Açúcar, uma das bandeiras de vizinhança do GPA, receberá sensores capazes de interagir com as plataformas digitais (aplicativos para celular e e-commerce) e com tecnologias embutidas, como lockers, reconhecimento facial, self-checkout, entre outras.

Resultado de imagem para Modelo GPA E Microsoft

DESTAQUES

Lockers: o cliente poderá antecipar suas compras via aplicativo e retirar na loja sem filas ou espera. Ao chegar à loja, basta se dirigir ao armário e digitar um número de liberação, ambos informados previamente via app.

Pre-Scanning: colaboradores da loja ficam equipados com um leitor móvel e abordam clientes para realizar o pré-escaneamento das compras de forma fácil e rápida enquanto aguardam a vez na fila. Caso o cliente aceite, o operador inicia o registro dos itens, retirando e colocando as compras novamente no carrinho. Ao fim da ação, o operador entrega um QR Code para o cliente e o direciona para a seção de autoatendimento ou o checkout que estiver com menor demanda no momento, otimizando o tempo de compra e reduzindo o momento de espera especialmente em horários de pico.

Shop and Go: o cliente pode realizar suas compras normalmente em loja física e solicitar que todos os produtos sejam entregues no domicílio em até quatro horas.

Reconhecimento facial: já fará a leitura de todas as informações disponibilizadas, como CPF e perguntas normalmente realizadas no momento em que se inicia o processo de pagamento. Neste caso, o cliente, além de identificar seu cadastro, poderá passar suas compras nestes pontos, espalhados pela loja, e pagar diretamente pelo cartão ou via aplicativo, eliminando a necessidade de passar pelos caixas.

Dados:

Mais de 9 milhões de pessoas têm acesso aos aplicativos do grupo.

Aumento de vendas identificadas (aquelas que o cliente digita o CPF para ter acesso aos descontos): de 76% para 85% no Pão de Açúcar e de 47% para 60% no Extra.

77% dos clientes do GPA utilizam o aparelho celular enquanto estão nas lojas da companhia. Destes, 67% usam os apps Pão de Açúcar Mais e Clube Extra para checar e ativar as ofertas personalizadas disponíveis na funcionalidade “Meu Desconto”
12% aproveitam o momento para resgatar prêmios
11% buscam informações mais detalhadas sobre produtos
10% utilizam os aplicativos para agendar a passagem no caixa, evitando filas.

“A transformação digital é um dos principais pilares do GPA, uma vez que o consumidor brasileiro tem utilizado todas as tecnologias ao seu alcance para obter o máximo de vantagem em suas compras. Diante do cenário cada vez mais tecnológico e multicanal em que nos encontramos, a tendência é que a transformação digital se torne mais frequente e natural. Por isso, nós temos trabalhado para atender previamente esta demanda que está se consolidando, ao oferecermos ferramentas que facilitam e aprimoram ainda mais a experiência de compra dos nossos clientes”, complementa Salvador.

+ INOVAÇÕES DO GPA

Modalidades de pagamento

O “Self-checkout” já está em operação em algumas lojas das bandeiras Compre Bem e Pão de Açúcar, em São Paulo. O modelo permite ao cliente passar suas compras e realizar o pagamento de forma simples e rápida em um caixa automático e equipado.

Modalidades de entrega

O e-commerce, tanto no www.paodeacucar.com quanto no www.clubeextra.com.br, também disponibiliza algumas modalidades que são específicas para as variadas necessidades e momentos de compra. O cliente pode comprar e receber no dia seguinte ou optar pelo Express, que realiza a entrega em até quatro horas, ou, ainda, comprar pelo site e retirar na loja de sua preferência.

Ofertas personalizadas

Diante desse universo de dados e diferentes perfis de consumidores, outra oportunidade capturada foi o incremento das vendas de ofertas personalizadas nas categorias que antes não tinham tanta participação. O principal exemplo desse crescimento são os combustíveis: a participação de vendas de ofertas personalizadas aumentou mais de 30 vezes por conta das ativações realizadas por meio dos aplicativos. Ainda, padaria, rotisserie, hortifrúti e perfumaria mais do que dobraram a sua participação. Além dos itens que passaram a ter mais destaque, o canal e-commerce alimentar também apresentou um incremento significativo: as compras originárias das ofertas personalizadas aumentaram em mais de três vezes. Adicionalmente, a importância da personalização também começa a se destacar regionalmente. No Nordeste, por exemplo, a participação dos aplicativos nas vendas dobrou entre 2017 e 2018.

Foodtechs

Recentemente, o GPA formalizou parceria com foodtechs – startups que aplicam tecnologia à maneira de produzir, vender ou servir alimentos – oferecendo condições especiais para que elas comercializem seus produtos nas redes varejistas. Hoje, mais de 200 produtos dessas empresas podem ser encontrados nas gôndolas do Pão de Açúcar e do Extra, como, por exemplo: foodtechs Juice Lab, que comercializa sucos 100% frutas, sem conservantes, sem corantes e sem açúcar;  Organique, que produz chás e energéticos orgânicos; Flow, que trabalha com snacks superfoods veganos e orgânicos; B.eat, que faz snacks saudáveis e naturais; Moti-Moti, mochi recheado com sorvete; Helpie, com congelados sem conservantes, e +Mu, que produz alimento em pó hiperproteico.

*Matéria publicada na revista Super Negócios (setembro/outubro)