21 nov 2019

Serviço de ‘clique e retire’ de lojas reduz custo da compra online

Comprar pela internet é ótimo até o produto demorar dias, semanas para chegar e, quando chega, você não está em casa e o condomínio não aceita receber mercadorias. Uma saída viável é o sistema “clique e retire” : o consumidor compra online e escolhe um ponto fixo mais perto de casa para retirar o pedido. Dependendo da empresa, pode ser uma loja da rede, uma agência dos Correios ou um locker . Varejo de roupas, eletroeletrônico, construção, decoração, farmácias , joalheria e até supermercados oferecem o serviço no Grande Rio. No final das contas,  sem a taxa de entrega, o custo fica menor.

O “clique e retire”, além evitar os problemas de entrega e ser uma opção econômica, é uma alternativa para quem mora em local de difícil acesso e uma opção para o turista que está de passagem na cidade sem tempo para esperar uma entrega tradicional do comércio digital.  Lojas também permitem que o cliente, quando for retirar o pedido, teste ou prove o produto antes de levar para casa.

Para os lojistas é uma oportunidade de oferecer outros artigos que o consumidor não viu no site. O consultor e especialista em varejo Marco Quintarelli afirma que a modalidade vai demorar para alcançar todos os setores do varejo e se espalhar pela maioria das empresas com venda online, mas garante que o “clique e retire” é uma tendência:

— É, principalmente, devido a problemas de logística de entrega para situações de localização de risco ou entrega difícil. É bastante seguro e cômodo para todos que tiverem este tipo de limitação — diz Quintarelli, do grupo Azo.

Um setor que começa a despertar para o “clique e retire” é o supermercado. Alimentos perecíveis ainda são um desafio. O Carrefour, por exemplo, criou uma subcategoria do serviço para produtos alimentícios. O presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), Fábio Queiróz, porém, prevê uma expansão da modalidade nas redes fluminenses.

— Ainda não virou tendência no varejo supermercadista carioca, mas vemos que, aos poucos, cada vez mais lojas estarão procurando maneiras de entrar nesse fluxo tecnológico. Os supermercados estão vivendo a mudança de comportamento dos consumidores no dia a dia  — analisa Queiroz. 

A tendência de que fala Quintareli e Queiroz já é regra na rotina de Vivian Cruz, uma das caçadoras de ofertas da plataforma Qual Oferta , dos jornais O GLOBO, Extra e Expresso. A consultora resiste em pagar por frete e, com o serviço de “clique e retire”, economiza. Numa promoção relâmpago de um mixer a R$ 29,90 (o preço original era R$ 79,90), ela pagaria R$ 25 pela entrega na residência.

– Não corro o risco de a mercadoria não ser entregue. Muitas transportadoras não marcam um horário e muitas vezes o cliente aguarda e ninguém aparece. Além disso, você economiza. A vantagem é dupla – diz ela.

A maioria das lojas que oferecem o serviço segue o mesmo roteiro. O cliente fecha a compra no site, escolhe o clique e retire como opção de entrega. Logo após a confirmação do pagamento, o consumidor recebe um aviso por e-mail ou SMS. Para pegar os produtos, o comprador deve levar um documento com foto. Em quase todas as lojas, terceiros podem substituir o titular, desde que estejam com documentos. É sempre bom ficar alerta a prazos de retirada.

Veja como funciona em cada rede.

Renner — A rede envia um e-mail com a confirmação de que o pedido está disponível para retirada na loja escolhida. O cliente deve apresentar um documento original com foto e o número do pedido. Outra pessoa pode retirar, mas deve levar documentos originais de ambos com foto e o número do pedido. O comprador tem dez dias para retirar as mercadorias, contados a partir do recebimento do e-mail com a confirmação de retirada. Após esse período, o pedido retornará ao centro de distribuição da Renner. Em caso de desistência ou reenvio, o cliente deve entrar contato com a central de atendimento da rede.

Ponto Frio, Casas Bahia, Extra e Pão de Açúcar — As empresas utilizam o mesmo sistema: o “Retira rápido”. As regras são as mesmas, apenas uma parte dos locais de entrega é diferente. Após fechar o pedido, o cliente vai receber e-mail ou SMS de liberação antes de ir à loja. As redes informam que a retirada é a partir de duas horas após a aprovação de pagamento. Dependendo do local escolhido,  as exigências mudam. Na loja, o cliente precisa ir ao caixa e apresentar o cartão de crédito que comprou. É bom levar um documento com foto. O prazo para retirada é de cinco dias corridos. Se a retirada for nos Correios, deve-se  levar um documento com foto até sete dias corridos após a compra. No caso de retirada no locker (um armário com cofres), um código de abertura será enviado por SMS ou e-mail para o cliente, que terá três dias úteis de prazo. No caso de retirada por terceiros, é necessário apresentar um termo de autorização assinado e o documento de identificação oficial, de ambos, com foto. Se o cliente utilizou cartão de crédito na compra, é necessário apresentá-lo.

Deixe uma resposta