02 jul 2018

Setor supermercadista registra alta de 1,92%

O mês de maio foi positivo para o setor supermercadista, que registrou crescimento real* de 3,46%, na comparação com abril, e alta de 4,71% em relação ao mesmo mês de 2017, de acordo com o Índice Nacional de Vendas ABRAS, apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade nacional. No acumulado do ano (janeiro a maio) o setor registrou 1,92% de crescimento em relação a igual período de 2017.

Em valores nominais, sem descontar a inflação, as vendas dos supermercados em maio apresentaram alta de 3,87% em relação ao mês de abril e, quando comparadas a maio do ano anterior, crescimento de 7,69%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 5,23%.

De acordo com o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, o resultado acumulado dos supermercados em maio mostra uma estabilidade do setor. “Tivemos um ligeiro crescimento de 0,17 ponto percentual em relação ao acumulado até abril, já esperado devido ao cenário econômico do País anterior à paralisação dos caminhoneiros. As vendas de maio não foram impactadas pela paralisação, que se concentrou mais no final do mês, e, como os supermercados trabalham com estoques em torno de 10 a 15 dias, algumas redes mantiveram o abastecimento normal, e os reflexos da paralisação se concentraram mais em junho.”

Sanzovo destaca, ainda, que mesmo com o início da paralisação no final de maio, alguns produtos que possuem estoques menores, como os hortifrútis apresentaram alta nos preços. “Que é o caso da cebola e batata, como mostra o nosso indicador Abramercado”, ressalta.

Abrasmercado

Em maio, o preço da cesta de produtos *Abrasmercado, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, registrou alta de 1,07%, passando  de R$ 440,52 para R$ 445,25.

Os produtos com as maiores quedas de preços no mês passado foram: refrigerante pet, sabonete, farinha de mandioca e pernil. Já as maiores altas foram registradas nos itens: cebola, batata, creme dental e massa sêmola espaguete. Confira a tabela abaixo:

Regiões (Abrasmercado)

Em maio, a única região que apresentou queda nos preços da cesta Abrasmercado foi a Centro-Oeste (-0,68%), que chegou a R$ 404,27, impulsionada por Brasília (-1,87%) e Campo Grande (-0,59%). O maior valor da cesta foi registrado na Região Sul (2,51%).

* Alta real: valor deflacionado pelo IPCA/IBGE

*Abrasmercado não é a cesta básica, mas, sim, uma cesta composta por 35 produtos mais consumidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica.
*Fonte: ABRAS

Deixe uma resposta