22 mar 2018

Empresários do varejo estão confiantes no crescimento da economia

A economia se descolou da crise política e a prova disso é o crescimento do índice de confiança dos empresários do setor de varejo, que atingiu 55,7 pontos segundo pesquisa da GFK encomendada pela Associação Brasileira de Supermercados e apresentada no lançamento da Convenção ABRAS e da Super Rio Expofood, nesta segunda feira, dia 19. Trata-se de um importante indicador que norteia o futuro do setor, que faturou R$ 353,2 bilhões em 2017 e criou 20 mil novas vagas de emprego no país.

“Houve um aumento do número de empresários entrevistados que disseram ter uma expectativa de melhora da economia. Isso é importante porque é a partir de uma perspectiva otimista que os investimentos virão e, consequentemente, novas vagas de emprego, o aumento da renda e do poder aquisitivo da população”, disse o presidente da ABRAS João Sanzovo Neto.

Responsável por 11% da fatia total do faturamento nacional, R$ 38,8 milhões, o Estado do Rio de Janeiro também aposta em um ponto de virada da economia, embora ainda com uma perspectiva conservadora. “A previsão para 2018 é crescer no nível da inflação. Ano passado, esperávamos um decréscimo de 2%, e decrescemos apenas 1% já deflacionados. Este ano esperamos ficar estabilizados”, avalia Fabio Queiroz, presidente da Associação dos Supermercados do Rio de Janeiro (Asserj). Nacionalmente, o setor tem projeção de crescimento real de 3% em 018.

Colaboração

A estratégia fluminense para concretizar o ponto de virada é investir nas promoções e parcerias. Em 2017, foi criada a Rede Integra, composta por oito supermercados que têm o objetivo de criar um ambiente de colaboração e melhor competitividade. O próprio tema da 30ª Super Rio Expofood é a colaboração. O evento, que ocupa os pavilhões três e quatro do Riocentro entre os dias 19 e 21 de março, deve movimentar cerca de R$ 1 bilhão em negócios, alem de todas as prospecções.

“É um evento grandioso que em três dias injeta na economia da cidade mais de R$ 15 milhões, ocupa 3.000 quartos de hotéis e gera 8.000 empregos diretos e indiretos. Só na montagem da feira tivemos mais de 3.000 trabalhadores envolvidos”, diz Fabio. “Respeitamos aqueles que desistiram da cidade mais maravilhosa do mundo, mas optamos por trazer a convenção da Abras para cá após 14 anos afastada e esse retorno nos dá a sensação de dever cumprido e de olhar com orgulho para a cidade do Rio de Janeiro”, completa.

Dados do setor

  • Houve um aumento de 3% das vendas na semana Back Friday no Brasil, incluindo varejo, auto-serviço, cash & carry (cervejas, refrigerantes, bolachas, óleo e arroz).
  • A pedido da ABRAS, a Gfk apresentou um novo índice, o PF Caseiro, composto por arroz, feijão, salada, carne, fritas, adquiridos no supermercado. O Rio possui um dos valores mais baixos do Brasil, R$ 5,97. A média nacional, considerando os preços de janeiro, é de R$ 7,58. Esses valores tiveram uma queda de 8,5% em relação ao ano passado, sendo a queda mais acentuada no Rio, mais de 10%.
  • Em todo o Brasil, o crescimento de produtos em promoção passou de 11% em 2015 para 15% em 2017.

Deixe uma resposta