reciclagem-asserj
17 fev 2017

Cortejo mutirão De Olho no Lixo na Folia desfila amanhã na Rocinha

Caixas de leite que deram lugar a máscaras carnavalescas, abadás confeccionados com banners usados durante os Jogos Olímpicos e CDs transformados em criativos enfeites de cabelo. As peças confeccionadas a partir do reaproveitamento de resíduos sólidos fazem parte do figurino do cortejo mutirão “De Olho no Lixo na Folia” que desfilará amanhã, dia 18, na Rocinha, na Zona Sul do Rio. A concentração será às 10h, na Quadra da Roupa Suja situada na entrada da comunidade e é aberta ao público.

As peças foram produzidas pelos alunos do Ecomoda, do Projeto De Olho no Lixo desenvolvido na Rocinha. Já os  instrumentos musicais que serão utilizados pelos foliões foram produzidos pelos alunos do Funk Verde, também do Projeto De Olho no Lixo, a partir de resíduos sólidos que teriam como destino a lata do lixo: cuícas confeccionadas com canos PVC (tipo de resíduo da construção civil), pandeiro produzido com garrafa pet em substituição ao couro animal e latas de tinta que deram lugar ao tarol.

Os alunos apresentarão um repertório de marchinhas de carnaval e um inédito samba enredo, cuja composição é do agente socioambiental do Projeto De Olho no Lixo, Juju da Rocinha. Os arranjos musicais serão dos alunos Funk Verde e os intérpretes serão os agentes socioambientais Marcelo e Tota. O cortejo mutirão sairá da Quadra da Roupa Suja, desfilando pela Via Ápia, Boiadeiro e Valão e retornando para o local da concentração.

Os agentes socioambientas também estarão presentes no cortejo. Durante o desfile e também no local da concentração, eles farão um mutirão de limpeza, recolhendo os possíveis “rastros de lixo” deixados pelos foliões.

O cortejo mutirão De Olho no Lixo na Folia quer inspirar os blocos de carnaval a  pensar na reutilização de fantasias e outros materiais que possam dar origem a instrumentos de percussão, além de sensibilizar os foliões para uma nova cultura de diminuição do impacto ambiental nos desfiles e bailes de Carnaval.

Nas duas semanas que antecederam o desfile do bloco, foram realizadas na quadra da Roupa Suja as oficinas do Ecomoda e Funk Verde com enfoque na confecção de fantasias a partir do reaproveitamento de resíduos sólidos  e percepção rítmica com os instrumentos musicais produzidos.

Projeto De Olho no Lixo

Fruto de cooperação técnica entre a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e o Viva Rio Socioambiental, com apoio da Associação dos Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), o projeto desenvolve trabalho de manejo correto dos resíduos sólidos na Rocinha, visando a minimizar o impacto negativo provocado pelo lixo.

Mais de 450 toneladas de lixo foram recolhidas, entre os meses de maio de 2016 e janeiro de 2017, da comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio de Janeiro, por agentes socioambientais capacitados pelo Projeto “De Olho no Lixo: Transformando resíduo em arte, cultura e educação”.

Além da coleta de lixo, que é realizada por 30 agentes socioambientais, o projeto De Olho no Lixo tem outro eixo de atuação que é o de educação ambiental, cultura e comunicação que pretende evitar a continuidade de lançamento dos resíduos pelos moradores e transformando lixo em arte e renda. Para isso, são desenvolvidos na comunidade dois cursos gratuitos: Funk Verde que oferece oficinas de percussão e teoria musical com o reaproveitamento de materiais retirados do lixo para a confecção de instrumentos musicais; e o Ecomoda, voltado para a capacitação em produção de acessórios e peças de vestuário, a partir do reaproveitamento de retalhos, tecidos, jeans usados e banners.

Deixe uma resposta