campanha-câncer
27 maio 2016

ASSERJ entra na luta contra o câncer infantil

Parceria com o Instituto Ronald McDonald busca engajamento do setor para promover arrecadação em prol das crianças e adolescentes com câncer

A Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro acaba de abraçar uma causa nobre. Uma parceria entre os supermercados do Rio de Janeiro e o Instituto Ronald McDonald deu o pontapé inicial para o engajamento do setor na luta contra o câncer infantil e juvenil.

Durante o ano passado, os supermercados encontraram dificuldades com o troco, foi quando surgiu a idéia de procurar o Instituto Ronald McDonald para promover uma espécie de arrecadação social, com cofrinhos de fibralata nos caixas de supermercado. A iniciativa, além de facilitar o troco, cujas moedas poderiam ser trocadas por nota no próprio estabelecimento, também ajudaria ao Instituto Ronald McDonald, organização sem fins lucrativos, que desenvolve e coordena programas que de atendimento a crianças e adolescentes com câncer.

Por enquanto, duas redes de supermercado aderiram à parceria: Supermercados Campeão e Supermercados Vianense, mas outras redes também se mostraram interessadas, durante a última reunião do Conselho Diretor (realizada em 19 de maio). Na ocasião, as representantes da área de Desenvolvimento Institucional do Instituto Ronald McDonald, Flávia Reis e Michelle Baçal, apresentaram aos supermercadistas um pouco mais do projeto e as facilidades de adesão.

Para o diretor dos Supermercados Campeão, Arnaldo Germano, a iniciativa vai muito além da possibilidade de troco, para ele trata-se de uma adesão por uma causa nobre: “O alvo da campanha é o sentimento. Cada moedinha, cada esforço vale à pena se é para salvar a vida de uma criança com câncer, argumentou Arnaldo.”

Mario Viana, diretor dos Supermercados Vianense, completou: “Fiquei sensibilizado de imediato com a causa e acho que todos os supermercados do Estado deveriam aderir para o sucesso do projeto. Esta é uma causa nossa!”

 

Sobre a doença:

No mundo todo, o câncer é a segunda doença que mais mata, precedida apenas por doenças cardiovasculares. Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2030, o câncer deverá vitimar 12 milhões de pessoas. No Brasil, a doença é a primeira causa de mortalidade na faixa etária entre 0 a 19 anos.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, (um dos institutos que atuam em conjunto com o Ronald) se há 30 anos a chance de cura era de 15%, atualmente pode chegar a 85%. Nos últimos anos, os avanços em prevenção, detecção precoce, tratamento e controle do câncer ganharam novas perspectivas. Mas muito ainda precisa ser feito para que crianças e adolescentes com a doença possam ter mais saúde e qualidade de vida. Por esta razão, é preciso consolidar e ampliar os programas desenvolvidos pelo Instituto. Vencer este desafio depende da participação de todos.

Deixe uma resposta