22 mar 2018

Colaborar é preciso, mas não é espontâneo

Painel Colaboração no Ambiente Gerencial mostrou como criar um ambiente colaborativo nas empresas; apenas 21% dos trabalhadores colaboram espontaneamente

É preciso estimular a colaboração nas empresas. Com essa mensagem a master Coach da Falconi Consultores Associados, Neuza Chaves abriu a seção de Painéis e Palestra da 30ª Super Rio Expofood, dia 20 de março, no Pavilhão três do Riocentro. Com o auditório lotado de empresários do setor de varejo, Neuza mostrou que cabe aos líderes criar estratégias para estimular o ambiente colaborativo.

“As pessoas gostam e se sentem motivadas a colaborar, mas precisam ser estimuladas. Segundo pesquisa da Gallup, apenas 21% dos empregados são espontaneamente colaborativos. Por isso, precisamos criar condições e métodos para que essa colaboração aconteça mais intensamente”, afirmou Neuza Chaves, autora do livro “Soluções em Equipe”.

Desperdício de gente
Segundo ela, conhecimentos metodológicos e técnicos são fundamentais para garantir o sucesso de uma liderança, que precisa alcançar resultados e ensinar a equipe a trilhar o caminho das metas de forma responsável e ética.  “Em consultorias que fazemos em supermercados e fábricas há sempre a preocupação com o desperdício. Mas, o maior desperdício que as empresas possuem é o desperdício de gente”, disse.

Uma equipe alinhada e bem coordenada evita cair em estatísticas que mostram que pequenos problemas operacionais, que costumam causar grandes estragos quando acumulados,  poderiam ser totalmente evitados, já que em 100% das vezes eles são de conhecimento das bases de operação.  “Os superiores conhecem 70% desses problemas e apenas 4% é de conhecimento dos diretores, CEO, o que não está errado, porque a diretoria deve cuidar de parcerias, negócios,”

Dimensionar o tempo para que não haja prejuízos por falta de comunicação, apostar em soluções simples e em reconhecimentos, simbólicos ou materiais, são caminhos que podem criar um ambiente mais colaborativo.

Deixe uma resposta