forum
01 jun 2017

I Fórum de Prevenção de Perdas do Rio de Janeiro discutiu a prevenção de perdas sob a ótica da Diretoria Executiva do varejo fluminense

O Conselho de Prevenção de Perdas do mês de maio foi especial. Com mais de 200 participantes e profissionais do varejo, a ASSERJ promoveu o I Fórum de Prevenção de Perdas do Rio de Janeiro, no Hotel Windsor Oceânico, e reuniu grandes especialistas e profissionais da área para falar como a área de prevenção de perdas está situada no organograma da empresa. Esta primeira edição tem como objetivo difundir ainda mais o assunto, que vem ganhando cada vez mais importância por ser um meio de aumentar a margem de lucro.

Para a abertura do evento foi formado um painel com a presença de Walquyria Majeveski, COO do Hortifruti; Marcos Manéa, Gerente e Membro do Comitê de Prevenção de Perdas da ABRAS; Túlio Abrantes, Diretor Financeiro da Rede Supermarket; Maria José Azeredo, Gerente Estratégica do Grupo Barcelos e Gustavo Avelar, Presidente da Casa & Vídeo, com mediação feita por Carlos Eduardo Santos, Presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo. Durante a conversa, os executivos compartilharam a visão institucional de cada empresa e as ações que promovem. Apesar das particularidades de cada modelo de negócio, todos entendem que a Prevenção de Perdas é um processo que deve ser preventivo, ligado aos diretores e que o monitoramento é ferramenta fundamental para os melhores resultados.

O Gerente de Estudos de Infraestrutura da Firjan, Riley Rodrigues, apresentou o estudo que aponta os últimos números de roubos e furtos de cargas no Rio de Janeiro. Ultimamente, esta vem sendo uma importante e incômoda causa de perdas no varejo carioca. “Somente em 2016 foram registrados 9.862 roubos de cargas, com custo de R$ 619 milhões. De 2011 a 2016 foram 33,24 mil ocorrências, um crescimento de 220,9%, sendo uma média de um roubo a cada 1h35min”, destacou.

Sandro Alves, consultor da Mix Varejo, apresentou as perdas de vendas que a ruptura pode causar e boas práticas para evitá-las. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) e outros órgãos de pesquisa, a ruptura promove não menos que 15% de redução de vendas por ano, podendo chegar a 30%. “A soma dos valores de ruptura representaria um dos cinco principais supermercados do Brasil em faturamento”, ressaltou o consultor.

As práticas do Supermercado Condor, do Paraná, encerraram o evento. Éder Motin, Controller, apresentou como a prevenção de perdas fez o seu supermercado reduzir em R$ 45,8 milhões em cinco anos. “Além de identificar os principais desperdícios é preciso estabelecer processos para maximizar os lucros. No Condor adotamos 12 passos que nos permitiram reduzir as nossas perdas. São eles: Contar com o apoio da alta direção; introduzir as pessoas na cultura da empresa; fazer levantamento e diagnóstico com fotos; implantar treinamentos; definir rotinas; check – list com fotos; definição de relatórios; calendário de comitês; medir indicadores; definir plano de ação; executar plano de ação e monitorar”, relata.

O evento recebeu desde especialistas como profissionais que estão começando na área. É o caso do Marcelo de Souza Amaral, assistente de Prevenção de Perdas dos Supermercados Novo Mundo. “Eu estou entrando na área agora e nunca tinha participado das reuniões do Conselho. Os palestrantes tinham muito conhecimento técnico e apresentaram o melhor de seus trabalhos. Para mim foi muito proveitoso e consegui aprender ainda mais”, declarou.

Edecir Milan da Cunha, Gerente de Prevenção de Perdas do Armazém do Grão, destacou a diversidade e relevância dos assuntos tratados. “A abordagem de diferentes pontos relacionados ao tema abriram um leque ainda maior sobre a atuação e a importância da Prevenção de Perdas nos supermercados.”

Além de gerentes de prevenção de perdas dos supermercados fluminenses, estiveram presentes também membros do Conselho Diretor da ASSERJ Genival Beserra, do Supermercado Costazul Multimercado, Rosa Cunha, do Inter, André Portes e Luiz Carlos Correia, do MultiMarket. O evento contou com o apoio do portal Prevenir Perdas e dos patrocínios da Mix Varejo e Johnson Controls.

Confira a galeria com os principais momentos:

Comment List

  • Thiago Lessa 05 jun 2017

    Boa noite!! Grande tema, Parabéns a Asserj pelo trabalho executado e pela preocupação em desenvolver as ações que ajudam o varejo a crescer com mais qualidade a cada dia, Trabalho no Ramo de inventários terceirizados e vejo a diferença que se tem de crescimento quando damos a necessária atenção a esse tema e prevenimos perdas, até porque, na verdade, prevenindo perdas, maximizamos os lucros com ações que somente a prevenção de perda nos aponta. Parabéns ASSERJ e sucesso a todos!

    Reply
    • Juliana Costa 06 jun 2017

      Olá, Thiago! Agradecemos o seu interesse e feedback enriquecedor para o setor. Conte com a ASSERJ para propagar conhecimento a respeito desse e de outros temas! Acompanhe nossa programação, abraços!

      Reply
  • Muito bom os conceitos de prevenção de perdas o resultado só aparece quando todos estão envolvidos nos processos pois a redução de quebras vem junto com a cultura dos colaboradores para movimentar o plano de ação para os números do objetivo aparecerem.

    Reply
    • Juliana Costa 05 jun 2017

      Olá, Maximiano. Obrigado pelo seu feedback! Acompanhe a nossa programação e os próximos eventos promovidos pela ASSERJ e seus parceiros para o setor supermercadista. Abraços!

      Reply
  • Sergio Mauricio G Gomes 03 jun 2017

    Fui um dos precursores do desenvolvimento dos mecanismos de prevenção de perdas no varejo e acredito que todas as ações nesse sentido criam melhores condições de crescimento e otimização do setor. Parabéns aos organizadores em particular ao meu amigo Edecir.

    Reply
    • Juliana Costa 05 jun 2017

      Olá, Sergio! Esse tema está sempre em nosso radar para levarmos soluções assertivas para o setor. Obrigado pelo seu feedback e por acompanhar as ações e eventos da ASSERJ. Até a próxima!

      Reply

Deixe uma resposta