2017-09-01-PHOTO-00000019
15 set 2017

ENTREVISTA COM ANA PAULA ROSA, COORDENADORA DO CONSELHO JURÍDICO DA ASSERJ

A advogada e economista Ana Paula Rosa integra o Escritório de Assessoria Jurídica José Oswaldo Corrêa, responsável pelas ações da ASSERJ há mais de 30 anos. Ana Paula é a coordenadora do nosso Conselho Jurídico, e hoje conta como é sua atuação com os associados.

Como a assessoria jurídica é pautada para os associados ASSERJ?

Estou há 15 anos no escritório de assessoria jurídica José Oswaldo Correia, e acompanhei a trajetória do atual presidente Fábio Queiróz na ASSERJ através do Conselho Jurídico. Com a nova gestão, começamos a idealizar uma nova prestação de serviços jurídicos aos associados. Antes fazíamos o acompanhamento processual, hoje o trabalho é mais voltado para a área de prevenção, interesse comum dos associados.

Antigamente fazíamos um trabalho rotineiro de acompanhar processos. Hoje verificamos os problemas de determinado associado, e apontamos uma solução legal, de maneira que esse resultado possa interferir para todos os outros.  São ideias do Fábio após a reformulação do Conselho.

Como aconteceu a sua aproximação com o setor supermercadista?

Minha formação é de economista, com interesse de atuar na área jurídica. O meu nascedouro jurídico veio justamente na área de varejo.

Como você enxerga a relação dos associados no período atual?

Antigamente existia uma competividade muito grande entre os supermercadistas. O momento econômico que o varejo sentiu nos últimos dois anos foi fundamental para criar uma relação mais amistosa e de parceria entre os varejistas.  Se eu puder conciliar a minha visão econômica e jurídica, posso dizer que se criou um interesse comum entre os varejistas.

Qual é o seu ponto de vista sobre a nova gestão da ASSERJ?

O Fábio como advogado é um excelente gestor. Ele tem um perfil de empresário que se sobressaiu. Nossa relação no Conselho Jurídico era de advogado para advogado, e como presidente da ASSERJ trouxe uma gestão empresarial com inovações. Tenho muito orgulho de ter conhecido ele antes de ingressar na presidência, vinha acompanhando essas modificações, e inovações. São fundamentais para o crescimento da associação, em nível nacional. A ASSERJ só tem a crescer e aumentar a sua representatividade nacionalmente.

Quais são os diferenciais do Conselho Jurídico da ASSERJ?

Muito embora comitê jurídico já existisse, e a assessoria jurídica fosse presente desde o inicio da atuação da associação, eu penso que o conhecimento da Assessoria Jurídica de forma direta pelos associados ocorreu dos dois últimos anos para cá. Antes eles sabiam que existia o Departamento Jurídico que prestava essa assessoria, mas eles não tinham conhecimento de poder fazer esse canal direto. Com a reformulação do conselho isso mudou. Eles têm a possibilidade de fazer consultas diretas conosco. Antes dependiam muito das ações da associação. Hoje as consultas ocorrem via e-mail, celular, onde atuamos dando retorno direto e com brevidade ao associado. A consultoria para os associados é mais ativa e personalizada. Ele pode se mobilizar, fazer um questionamento direcionado a sua problemática, e recebe um direcionamento personalizado.

Este ano a ASSERJ promoveu seu primeiro Simpósio Jurídico, evento que foi um sucesso. Comente sobre essa iniciativa.

Esse Simpósio Jurídico teve um marco inicial para a transformação da ASSERJ. A troca após o simpósio foi maravilhosa. A expectativa é aumentar e fazer uma integração maior, até mesmo com os jurídicos internos dos associados. Nosso objetivo é fazer uma troca de conhecimento, parcerias direcionadas da Assessoria Jurídica da ASSERJ com os jurídicos internos. A ideia é unir para fazer crescer. Esse ano trouxemos o Dr. Sylvio Capanema que é excepcional, o Dr. Sergio que veio de São Paulo para falar sobre a modernização trabalhista, Dr. Márcio da Procuradoria da Barra da Tijuca. Temas de interesse do varejo supermercadista e diversificados para conscientizar os associados de que temos um Conselho Jurídico de excelência. A intenção é fazer com que os associados se unam para os próximos eventos serem em formato de parceria. É de interesse comum, não só da ASSERJ, que o projeto seja idealizado por todos. E faço um adendo para a Super Rio Expofood, esse foi o quinto ano que participo, e a feira já se considera hoje a segunda maior de negócios do setor alimentício da América Latina.

Deixe uma resposta